domingo, 29 de maio de 2011

Língua - A maior palavra da Língua Portuguesa.


Responda: Qual a maior palavra da Língua Portuguesa ?




Pneumoultramicroscopicossilicovulcanoconiótico




A palavra possui 46 letras, nome dado ao portador da doença Pneumoultramicroscopicossilicovulcanoconiose, uma doença rara causada pela aspiração de microscópicas partículas de cinzas vulcânicas. Memorize e diga a seus amigos, mas não vai ser fácil,hehehe.







A palavra com o maior número de vogais juntas é:







Piauiense.

sábado, 28 de maio de 2011

Língua - Vícios de Linguagem, parte II. Solecismo,Cacofonia, Ambiguidade e Redundância.


SOLECISMO: Caracteriza-se por um erro ou desvio na sintaxe.

Exemplo: “Houveram eleições para representante de turma.”

O certo é “Houve….não há plural” (erro de concordância)

- Assisti esse filme no cinema.

O certo é “Assisti a esse…..” assistir sem preposição vira auxiliar. Ex.: O menino assistiu sua mãe.(erro de regência)

CACOFONIA: Som desagradável ou obsceno transformado pela posição das letras.

- Hilca ganhou um prêmio.
- A boca dela está sangrando.

AMBIGUIDADE: Duplo sentido.

- O cachorro do seu irmão avançou na minha amiga. (cachorro pode ser o animal (cão), ou uma qualidade (vagabundo, assanhado) para irmão

REDUNDÂNCIA : é a repetição de ideias.

- Maria subiu lá em cima para ver o balão.
- José inventou novos brinquedos para o filho.

OBS: Não há redundância em “intrometer-se no meio” e “voltar-se para trás”.

Uma pessoa pode intrometer-se no início, meio ou fim de uma conversa, assim como alguém pode voltar-se para o lado.

sábado, 21 de maio de 2011

Língua Portuguesa - Vícios de Línguagem - Barbarismo.

Vícios de Línguagem são erros ou desvios cometidos contra a gramática , os principais são: Barbarismo, solecismo, cacofonia, ambigüidade e redundância.

O que significa BARBARISMO ? são desvios na grafia, na pronúncia ou na flexão. Ocorre quando pronunciamos ou grafamos um termo de forma errada, muitos acontecem por aceitação popular,isto é, a grande massa começa a utilizar e o termo acaba sendo usado na forma errada.


- Pograma (em vez de programa)
- brica (em vez de tonificar o – bri -, rubrica)
- Etmologia (em vez de etimologia, com – i -)
- Quando eu pôr o vestido. (o certo seria – Quando eu puser o vestido)
O policial interviu. (O certo seria interveio)

Pobrema em vez de problema, certo Lula? hehehehe...

Observação: quem abusa das palavras estrangeiras grafando-as como na língua original, também comete barbarismo.

Abajur: e não “abat-jur”.
Coquetel: e não “cocktail”.

Muitos barbarismos ou "estrangeirismos" são de uso popular, é normal utilizarmos SITE em vez de saite ou sítio( termos que poderiam ser usados em nossa língua) , LINK em vez de linque, mas a língua se transforma, há anos não se utilizaria Xampu, mas sim Shampoo, assim como o Shopping certamente um dia virará Xópin...

...continua...

terça-feira, 17 de maio de 2011

Língua - Palíndromos


Palíndromo, nome estranho,não?!

Ocorre quando algo é igual lido do final para o início.

Ex.: Socorram-me, subi no ônibus em Marrocos. "Saíram o tio e oito marias."
"Seco de raiva, coloco no colo caviar e doces."

ANOTARAM A DATA DA MARATONA?

Osso, ovo, Réver, Anilina, mutum, Ana, ama, reger,ralar,rir, ele, seres, socos...

( leia de trás para frente).

domingo, 15 de maio de 2011

Língua - Algumas curiosidades de nossa Língua - Parte I.


A Língua Portuguesa possui muitas curiosidades, vejamos algumas:

* A palavra com o maior número de vogais juntas é Piauiense.

* A maior palavra da Língua Portuguesa é:
Pneumoultramicroscopicossilicovulcanoconiótico
A palavra possui 46 letras, nome dado ao portador da doença Pneumoultramicroscopicossilicovulcanoconiose, uma doença rara causada pela aspiração de microscópicas partículas de cinzas vulcânicas. Memorize e diga a seus amigos, mas não vai ser fácil,hehehe.

*O único termo que apresenta o plural formado na parte interna e não ao final como é o comum é: QUALQUER, QUAISQUER.

* custas ...linguagem jurídica para designar ‘despesas feitas no processo’. Portanto, devemos dizer: ” O filho vive à custa do pai“. No singular.

O certo é a meu ver e não ao meu ver.

A princípio significa inicialmente , antes de mais nada. Ex: A princípio, gostaria de dizer que estou bem. Em princípio quer dizer em tese. Ex: Em princípio, todos concordaram com minha sugestão.

Não esqueça: alface é substantivo feminino. A alface está bem verdinha

Não existe a expressão à medida em que . Ou se usa à medida que correspondente a à proporção que, ou se usa na medida em que equivalente a tendo em vista que.

O certo é alto-falante, e não auto-falante.

O certo é alugam-se casas, e não aluga-se casas. Mas devemos dizer precisa-se de empregados, trata-se de problemas. Observe a presença da preposição (de) após o verbo. É a dica pra não errar. Nota: esta dica precisa ser confirmada.

Depois de ditongo, geralmente se emprega x. Veja: afrouxar, encaixe, feixe, baixa, faixa, frouxo, rouxinol, trouxa, peixe, etc .

Ainda se vê muito, principalmente na entrada das cidades, a expressão bem vindo (sem hífen) e até benvindo. As duas estão erradas. Deve-se escrever bem-vindo, sempre com hífen.

Não existe preço barato ou preço caro. Só existe preço alto ou baixo. O produto, sim, é que pode ser caro ou barato. Veja: Esse televisor é muito caro. O preço desse televisor é alto.

Você não bebe a Champanhe. Bebe o Champanhe. É, portanto, palavra masculina.
A Champanhe é a região , enquanto o Champanhe é o vinho espumante.

Não tenho nada a ver com isso, e não haver com isso.




Personagem é um substantivo de dois gêneros... pode ser usado tanto para mulher como para homem, então as duas formas estão corretas: a personagem, o personagem.
...continua...

sábado, 14 de maio de 2011

Aliteração - Só a Língua Portuguesa ...





Apenas a língua portuguesa nos permite escrever isso...
Aliteração: é uma figura de linguagem em que se utiliza a mesma letra inicial ou a mesma sílaba tônica nos termos que formam um texto.




Pedro Paulo Pereira Pinto, pequeno pintor português, pintava portas, paredes, portais. Porém, pediu para parar porque preferiu pintar panfletos. Partindo para Piracicaba, pintou prateleiras para poder progredir.
Posteriormente, partiu para Pirapora. Pernoitando, prosseguiu para Paranavaí, pois pretendia praticar pinturas para pessoas pobres. Porém, pouco praticou, porque Padre Paulo pediu para pintar panelas, porém posteriormente pintou pratos para poder pagar promessas.
Pálido, porém personalizado, preferiu partir para Portugal para pedir permissão para Papai para permanecer praticando pinturas, preferindo, portanto, Paris. Partindo para Paris, p assou pelos Pirineus, pois pretendia pintá-los.

Pareciam plácidos, porém, pesaroso, percebeu penhascos pedregosos, preferindo pintá-los parcialmente, pois perigosas pedras pareciam precipitar-se principalmente pelo Pico, porque pastores passavam pelas picadas para pedirem pousada, provocando provavelmente pequenas perfurações, pois, pelo passo percorriam, permanentemente, possantes potrancas. Pisando Paris, permissão para pintar palácios pomposos, procurando pontos pitorescos, pois, para pintar pobreza, precisaria percorrer pontos perigosos, pestilentos, perniciosos, preferindo Pedro Paulo precaver-se.

Profundas privações passou Pedro Paulo. Pensava poder prosseguir pintando, porém, pretas previsões passavam pelo pensamento, provocando profundos pesares, principalmente por pretender partir prontamente para Portugal. Povo previdente! Pensava Pedro Paulo... Preciso partir para Portugal porque pedem para prestigiar patrícios, pintando principais portos portugueses. Paris! Paris! Proferiu Pedro Paulo.

Parto, porém penso pintá-la permanentemente, pois pretendo progredir. Pisando Portugal, Pedro Paulo procurou pelos pais, porém, Papai Procópio partira para Província. Pedindo provisões, partiu prontamente, pois precisava pedir permissão para Papai Procópio para prosseguir praticando pinturas.

Profundamente pálido, perfez percurso percorrido pelo pai. Pedindo permissão, penetrou pelo portão principal. Porém, Papai Procópio puxando-o pelo pescoço proferiu: Pediste permissão para praticar pintura, porém, praticando, pintas pior. Primo Pinduca pintou perfeitamente prima Petúnia. Porque pintas porcarias? Papai, proferiu Pedro Paulo, pinto porque permitiste, porém, preferindo, poderei procurar profissão própria para poder provar perseverança, pois pretendo permanecer por Portugal.

Pegando Pedro Paulo pelo pulso, penetrou pelo patamar, procurando pelos pertences, partiu prontamente, pois pretendia pôr Pedro Paulo para praticar profi ssão perfeita: pedreiro! Passando pela ponte precisaram pescar para poderem prosseguir peregrinando.

Primeiro, pegaram peixes pequenos, porém, passando pouco prazo, pegaram pacus, piaparas, pirarucus. Partindo pela picada próxima, pois pretendiam pernoitar pertinho, para procurar primo Péricles primeiro. Pisando por pedras pontudas, Papai Procópio procurou Péricles, primo próximo, pedreiro profissional perfeito.

Poucas palavras proferiram, porém prometeu pagar pequena parcela para Péricles profissionalizar Pedro Paulo. Primeiramente Pedro Paulo pegava pedras, porém, Péricles pediu-lhe para pintar prédios, pois precisava pagar pintores práticos. Particularmente Pedro Paulo preferia pintar prédios. Pereceu pintando prédios para Péricles, pois precipitou-se pelas paredes pintadas. Pobre Pedro Paulo Pereceu pintando... '
Permita-me, pois, pedir perdão pela paciência, pois pretendo parar para pensar... Para parar preciso pensar. Pensei. Portanto, pronto pararei.

Após esse texto ficasem graça dizer:
'O Rato Roeu a Rica Roupa do Rei de Roma.'




(Autor desconhecido).

quarta-feira, 11 de maio de 2011

Despedida do TREMA .



Não sei quem escreveu, mas quem assina é o TREMA ... é uma tremenda aula de criatividade e bom humor, com acentuada inteligência.















DESPEDIDA DO TREMA



Estou indo embora. Não há mais lugar para mim. Eu sou o trema. Você pode nunca ter reparado em mim, mas eu estava sempre ali, na Anhangüera, nos aqüíferos, nas lingüiças e seus trocadilhos por mais de quatrocentos e cinqüentas anos.
Mas os tempos mudaram. Inventaram uma tal de reforma ortográfica e eu simplesmente tô fora. Fui expulso pra sempre do dicionário. Seus ingratos! Isso é uma delinqüência de lingüistas grandiloqüentes!...
O resto dos pontos e o alfabeto não me deram o menor apoio... A letra U se disse aliviada porque vou finalmente sair de cima dela. O dois pontos disse que eu sou um preguiçoso que trabalha deitado enquanto ele fica em pé.
Até o cedilha foi a favor da minha expulsão, aquele C cagão que fica se passando por S e nunca tem coragem de iniciar uma palavra. E também tem aquele obeso do O e o anoréxico do I. Desesperado, tentei chamar o ponto final pra trabalharmos juntos, fazendo um bico de reticências, mas ele negou, sempre encerrando logo todas as discussões. Será que se deixar um topete moicano posso me passar por aspas?... A verdade é que estou fora de moda. Quem está na moda são os estrangeiros, é o K e o W, "Kkk" pra cá, "www" pra lá.
Até o jogo da velha, que ninguém nunca ligou, virou celebridade nesse tal de Twitter, que aliás, deveria se chamar TÜITER. Chega de argüição, mas estejam certos, seus moderninhos: haverá conseqüências! Chega de piadinhas dizendo que estou "tremendo" de medo. Tudo bem, vou-me embora da língua portuguesa. Foi bom enquanto durou. Vou para o alemão, lá eles adoram os tremas. E um dia vocês sentirão saudades. E não vão agüentar!...
Nós nos veremos nos livros antigos. Saio da língua para entrar na história.

Adeus



TREMA

quinta-feira, 5 de maio de 2011

Língua Portuguesa - TÉCNICAS DE REDAÇÃO















Prof.Vallim.


Hoje em dia torna-se cada vez mais fundamental a arte de uma boa escrita, devido a isso devemos aprimorar nossos fundamentos quanto a elaboração de uma produção textual. Possuir os meios para uma boa escrita é necessário por quê? Atualmente, as redações tem sido empregadas até mesmo em processo de seleção para empregos em diversas áreas, em concursos públicos e nos vestibulares é cada vez mais essencial,onde muitas universidades têm adotado mais peso global na pontuação dos candidatos a cada vestibular.




Estrutura de uma Redação:




Ao elaborarmos uma redação devemos ter os seguintes dados organizados:




Introdução:




Na introdução devemos apresentar o TEMA principal, sem um maior aprofundamento,apenas para introduzir o assunto. O tema divide-se em tema principal e temas secundários. O tema principal é o assunto propriamente dito: assunto principal sobre o qual se disserta no texto; os temas secundários são os tópicos e argumentações que irão fundamentar a estrutura do texto.


A introdução deve ser feita em um parágrafo, mínimo de quatro linhas, apenas iniciando o tema para após fundamentá-lo.


Desenvolvimento


No desenvolvimento deve-se relacionar o tema principal a suas argumentações, de forma a tornar a redação um texto verossímil ( fundamentado em uma realidade) . Deve ser estruturado em ao menos dois parágrafos, sendo colocado o tema com maior aprofundamento a fim de expor o assunto em vários aspectos descritivos.



Conclusão


A conclusão deve ser objetiva,isto é, o posicionamento do redator deve ser transparente,trazendo soluções ou visões sobre o tema discorrido, elaborada em um parágrafo.


Observações estruturais




Devemos empregar sempre a norma culta em um texto redativo, procurando a utilização de sinônimos, antônimos, sem a repetição em demasia de uma palavra durante o texto. A ordem dos períodos deve ser bem empregada dando uma sequência exata no decorrer do assunto, concordância verbal, nominal, regência,pontuação e acentuação são vigentes quanto ao bom emprego durante o texto, sendo de grande importância na nota final de uma redação.

segunda-feira, 2 de maio de 2011

Língua Portuguesa - Verbos - Segunda parte. Formas Rizotônicas, Arrizotônicas e verbos Defectivos

Formas Rizotônicas: Apresentam a sílaba tônica no radical.


AMo, VENDe, CHUTe...



Formas Arrizotônicas: todas as formas que apresentam a sílaba tônica fora do radical.


AMarás, VENDesse, CHUTar...


Alguns verbos apresentam somente as formas arrizotônicas.


Ex.: precaver,reaver.


Verbos Defectivos: São verbos que não possuem uma conjugação completa, não há a primeira pessoa do singular do presente do indicativo (eu),assim como presente do subjuntivo.


Demolir, abolir, banir, colorir, explodir, extorquir, fundir.


Não existem:


Eu "abulo" as horas extras.


É preciso que você "demula" aquele muro.


Como colocar ?


Eu elimino ou estou abolindo.


Que você destrua ou derrube.




Sem Rizotônicas e sem todo o presente do subjuntivo:


Adequar, falir, precaver, ressarcir.


Isso não se ADÉQUA à nossa empresa. Devemos evitar.


Isso não está adequado à nossa empresa. Maneira correta.


OBS.: O dicionário Houaiss já considera o verbo adequar com conjugação completa.


Tomara que o vendedor nos ressarça. Devemos evitar.


Tomara que o vendedor nos indenize. Maneira correta.


Computar: Sem eu,tu e ele no presente do indicativo e sem todo o presente do subjuntivo.


Fale antes que eles computem as perdas. Devemos evitar.


Fale antes que eles calculem as perdas. Maneira correta.



...continua...

Postagem mais Recente

Qual das alternativas está errada? por quê?

Postagens mais Visitadas