segunda-feira, 11 de julho de 2011

Língua Portuguesa - Morfologia e Morfossintaxe

Estrutura das palavras

As palavras podem ser divididas em vários segmentos, cada um deles amplia a significação das palavras.
Esses segmentos são chamados de morfemas.

Morfemas

a) radical: parte da palavra que é a base do significado, identifica o que chamamos de família, pois as palavras que a compõem são iguais.

b) desinências: parte da palavra que é acrescentada ao radical para destacar as flexões gramaticais.
Elas são:

Nominais - indicam o gênero e o número dos nomes.

Verbais - indicam , nos verbos, tempo e modo (desinências modo-temporais), a pessoa e o número (desinências número-pessoais).

c) afixos: elementos que são colocados junto ao radical para formar palavras novas.
São eles:

Prefixos - colocados antes do radical

Sufixos - colocados depois do radical

d) vogal temática - é a vogal que, em alguns casos, prepara o radical para receber a desinência.

cant a va
ven de ra
part i sse

Note bem: no caso dos verbos a vogal temática indica a conjugação.

Quando temos o radical já unido à vogal temática obtemos o que chamamos de tema, do que podemos afirmar que tema é o radical pronto para receber as desinências.

e) vogais e consoantes de ligação - servem apenas para facilitar a pronúncia, não têm significado.
Ex.: pau - l - ada

Formação das palavras

Antes de estudarmos a formação das palavras, devemos nos lembrar que há, em português:

Palavras primitivas - são aquelas que dão origem a outras.
Palavras derivadas - são aquelas que têm sua origem em outras palavras.
Palavras simples - são aquelas que têm um só radical.
Palavras compostas - têm mais de um radical, provêm da união de duas ou mais outras palavras.
Processos de formação de palavras

a) Composição - ocorre quando juntamos dois ou mais radicais para formar uma nova palavra e pode ser dividida em dois tipos:

Justaposição - não existe alteração na pronúncia das palavras, como se apenas as encostássemos.

Ex.: beija-flor

Aglutinação - ocorre alteração na pronúncia ao juntarmos os radicais.

Ex.: vinagre (vinho + agre)

b) Derivação - a nova palavra é formada pelo acréscimo de prefixo ou sufixo, ou de ambos a ela.

Prefixal - acontece com o acréscimo de um prefixo ao radical.
Ex.: In - feliz

Sufixal - acontece com o acréscimo de um sufixo ao radical.
Ex.: feliz - mente

Parassintética - acontece com o acréscimo de prefixo e sufixo ao mesmo tempo e ocorrem frequentemente em verbos. Uma condição básica para que haja uma derivação por parassíntese é que a palavra não tenha sentido sem o prefixo ou sufixo que foram anexados.
Ex.: en - triste - cer


c) Hibridismo - forma-se a nova palavra com elementos procedentes de outros idiomas.

Ex.: automóvel (auto: grego; móvel: latim)

d) Onomatopéia - palavra que reproduz sons ou ruídos, normalmente são formadas por repetição de sons.

Ex.: zunzum, tique-taque, pingue-pongue

e) Abreviação - redução da palavra até o limite que permita a compreensão. As siglas são consideradas abreviações.
Ex.: moto (motocicleta) - LBV (Legião da Boa Vontade)

Nenhum comentário:

Postagem mais Recente

Qual das alternativas está errada? por quê?

Postagens mais Visitadas